Páscoa não é chocolate. Mas também não é só Jesus na cruz.

Páscoa. O que dizer sobre a Páscoa?
Estamos acostumados nesta época a nos preocuparmos com chocolates, ovos, coelhos, entre outras coisas. Isso não acontece apenas no mundo secular, mas também em nosso meio, o meio cristão, seja evangélico ou católico.

Não que seja pecado pensar em chocolates, bacalhau e outras coisas nessa época do ano ou em qualquer outra época. Mas fato é que quando nos esquecemos do principal motivo pelo qual essa data existe, isso sim se torna preocupante. Vemos em nossas igrejas muitos cristãos que nem sabem a origem da Páscoa. Sabem muito pouco e o pouco que sabem é algo sobre Jesus ter morrido na cruz, mas sem muita profundidade do assunto. E só.

Não se sabe ao certo se a culpa é das lideranças que não explicam ou de pessoas que não procuram saber, mas certo é que todas as datas que se comemora algo cristão, principalmente no que diz respeito a Jesus, existe algo nesse mundo que quer colocar Jesus sempre em segundo plano.

A intenção aqui é dizer que a sociedade, o comércio e a TV nos induzem a pensar somente nessas coisas e esquecermos de fato que Jesus é o centro dessas datas. Isso é a função do nosso adversário. Ele influencia toda uma sociedade e tira o foco do nascimento, da morte e ressurreição do Salvador.

Páscoa = Chocolate, Coelho, Ovos de chocolate
Natal = Presente, Papai Noel, Mesa farta

Mas afinal o que é a Páscoa?Primeiramente precisamos entender que a Páscoa é algo que vem bem antes da morte de Cristo. A palavra Páscoa, em hebraico é “Pesach” que significa passar sobre ou passar por cima. A páscoa foi instituída por Deus quando Ele pediu para que todos os israelitas sacrificassem um cordeiro e pintassem com o sangue desse cordeiro os umbrais da porta de entrada da casa, ou seja, ao redor da porta. O que isso quer dizer? Quer dizer que Deus passaria por cima daquelas casas marcadas com o sangue do cordeiro e não entraria ali para matar os primogênitos daquela família, somente entraria nas casas sem a marca de sangue; as casas egípcias.
Após este evento os israelitas saíram do Egito em direção a Terra Prometida atravessando o Mar Vermelho. Logo a Páscoa carrega consigo a representação de todo o processo de libertação do povo hebreu da terra egípcia, desde a marca do sangue do cordeiro nas casas, até a total liberdade após a travessia do Mar Vermelho.

Parece que as coisas agora começam a fazer mais sentido não é?
A data da morte e ressurreição de Jesus não foi aleatória. Não foi uma data qualquer. Tava tudo planejado pelo Autor da Vida. Tinha que ser na Páscoa. Da mesma forma como ocorreu no Egito, primeiro o sangue do Cordeiro (nesse caso, o Cordeiro de Deus, era Cristo) tinha que ser derramado para que a morte que vem através do pecado não entre mais em nós ou em nossa casa, ou seja, passe por cima. Depois veio a libertação, que com Cristo veio através da ressurreição, ou seja, agora somos livres do pecado, não somos mais escravos do pecado como os israelitas deixaram de ser escravos do Egito.

Não quero dizer que a Páscoa não é representação da morte e ressurreição de Jesus. Muito pelo contrário, na verdade ela é, mas, além disso, a Páscoa representa salvação, liberdade. Salvação porque só podemos ser salvos através de Cristo, quando somos marcados pelo sangue do Cordeiro de Deus. Liberdade porque depois da salvação você se torna livre dos pecados, livre para adorar, cultuar e amar esse Deus que deu seu filho Jesus para nascer, sofrer e morrer por nós.

Isso é um resumo geral para que você entenda todo processo do significado da Páscoa. Para entender melhor sugiro que pegue sua Bíblia e leia Exôdo 12,depois leia Isaías 53 e então Evangelho de Mateus e João. Pensando bem é melhor você ler a Bíblia inteira.
Agora faça um favor para a sociedade cristã e a sociedade secular. Compartilhe este artigo para que o máximo de pessoas conheçam a Páscoa e Jesus Cristo e não foquem apenas em chocolates.

Edificou? Edifique mais alguém e compartilhe!

Rodolfo Nalini

Criador e editor do blog Energia Gospel. Administrador de formação, casado. Nascido em São Paulo. Futebol, aventura e séries são meus hobbies. Servo de Cristo, pregador, gosto de rap cristão, curto inovações e amo formas diferentes de evangelismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *